Por que as fintechs cresceram tanto nos últimos tempos?


Entenda como o Brasil se tornou um solo fértil para o crescimento das fintechs nos últimos anos e saiba porque investir nesse ramo é uma ótima maneira de ganhar dinheiro.

É inegável a influência crescente que a tecnologia exerce sobre a vida hoje em dia. Por todos os lados estamos cercados de invenções modernas que chegaram para facilitar grande parte das nossas atividades diárias, desde o pagamento de contas, até a realização de reuniões profissionais.

Desse modo, é possível perceber o impacto da onda tecnológica desde o âmbito pessoal até o profissional, influenciando e facilitando todas as nossas ações cotidianas.

fintechs

A grande maioria das diferentes áreas do mercado profissional já se adaptou e vem mantendo um ritmo acelerado de atualização tecnológica. Um ótimo exemplo, é a chegada das fintechs, que trazem diversas mudanças para o cenário do mercado financeiro atual, como o RH 4.0.

O terreno tão fértil para startups aqui no Brasil e também no mundo se deve a diversos fatores, é claro, um dos que mais chamam atenção é justamente a revolução tecnológica ocorrida no mercado. Esse marco modificou pontos tradicionais, além de oferecer serviços de solução de educação financeira.

Descubra abaixo porque as fintechs cresceram tanto e como elas revolucionaram o mercado financeiro!

O que são fintechs?

Antes de entender como ocorreu o crescimento das fintechs nos últimos anos, é preciso ter uma noção geral do que são. Certamente você já ouviu falar em startups, certo?

Bom, partindo do princípio que startups são pequenas empresas emergentes que estão em processo de amadurecimento e têm como propósito desenvolver alguma solução tecnológica, podemos definir o que são as fintechs e como elas funcionam.

De maneira geral, as fintechs são derivadas das startups, entretanto, são totalmente voltadas para a área financeira.

fintechs crescem

O nome dado a esse segmento empresarial já indica o seu propósito; a soma de financial (financeiro) com technology (tecnologia) nomeia o setor que cresce a cada ano.

Assim, as fintechs são startups que vieram para reestruturar a área de serviços financeiros através de processos totalmente baseados em tecnologia.

Diferente do que muitos podem pensar, a área de atuação dessas empresas vai muito além dos bancos digitais, como veremos abaixo!

Crescimento acelerado

Há alguns anos o termo fintech não era tão conhecido aqui no Brasil mas, com o passar do tempo, não só o nome se tornou popular, como também as próprias empresas do setor.

O crescimento das fintechs vem sendo tão marcante que, em apenas 5 anos, o número saltou de 56 para mais de 550.

De acordo com o estudo realizado pelo FintechLab, no ano de 2015, havia apenas 56 fintechs registradas, enquanto que, em 2020, o número já passou de 550 registros.


A partir dessa evolução acelerada, é possível notar que o mercado para as fintechs no Brasil vem prosperando.

Atualmente, os principais segmentos que tomam conta do mercado são:

  • Meios de pagamento;

  • Crédito;

  • Backoffice;

  • Riscos e compliance,

  • Criptomoedas.

Nos últimos anos, os segmentos que mais cresceram foram: crédito, criptomoedas e meios de pagamento. Assim, é interessante prestar atenção nas fintechs voltadas para esses tipos de ação, garantindo assim um bom investimento.

Boa perspectiva

Apesar de algumas pessoas acreditarem que a indústria de fintechs já está saturada no Brasil, a realidade não é bem assim.

Mesmo com o crescimento acelerado dos últimos anos, o terreno ainda está muito fértil para que esse tipo de empresa consiga prosperar.

Felizmente, ainda existem oportunidades que ainda não foram exploradas, o que marca apenas o começo da caminhada das fintechs no país.

Grande prova disso é a grandiosidade do mercado financeiro brasileiro, que conta com concentração bancária, má entendimento dos clientes e inúmeras brechas nos serviços que são atualmente oferecidos.

Educação financeira precária

De acordo com dados do Banco Central, o Brasil conta com um montante de aproximadamente R$ 792 bilhões de saldo aplicado somente em poupança.

De acordo com especialistas, apesar de ser a opção mais popular, a poupança é atualmente o pior investimento disponível, já que na realidade, ela tem um rendimento pior do que a inflação.

Dessa forma é possível identificar uma deficiência em grande parte dos brasileiros quando o assunto é educação financeira. Visando modificar esse quadro, as fintechs têm um terreno bastante fértil para crescimento, principalmente quando o foco são investimentos.

População desbancarizada

Outro ponto que chama bastante atenção e pode ser visto como um ponto positivo para impulsionar o crescimento das fintechs, é a quantidade de pessoas desbancarizadas existentes no Brasil.

Atualmente, o total ultrapassa os 60 milhões, configurando como um excelente mercado para as fintechs.

Muitas empresas atuantes nesse segmento já entendem a importância de realizar investimentos voltados para esse público.

Inclusive, já é possível encontrar soluções para esse perfil de pessoas que, tradicionalmente, costumam ser ignoradas pelo sistema bancário atual.

Inadimplentes

Mais uma fonte de oportunidade de crescimento para as fintechs é a própria parcela da população inadimplente.

Hoje em dia, em torno de 63 milhões de brasileiros estão nessa situação, de acordo com o SERASA. Diante desse cenário, diversas empresas acabam surgindo com o intuito de trazer soluções voltadas para esse público.

Nesse caso, é bastante comum encontrar soluções criadas para dívidas e as diversas formas de negociá-las. Outra possibilidade interessante é a de fintechs que compram as dívidas e as renegociam.

Dessa forma, analisando o mercado de forma bem ampla como fizemos, é possível observar que não faltam oportunidades para fomentar o crescimento de fintechs aqui no Brasil.

Principalmente diante das brechas deixadas pelo sistema bancário tradicional, o terreno é bem fértil para o amplo crescimento das startups voltadas para o mercado financeiro.