Novo ensino medio tem muitas mudanças e reformas, veja como ficará o ensino no país.

Em fevereiro de 2017, o presidente da República sancionou a Medida Provisória nº 748/2016 que flexibiliza alguns aspectos do Ensino Médio. Tendo passado por mais de 560 emendas de senadores e deputados, o texto (agora Lei) implicou na mudança de assuntos polêmicos acerca da Reforma do Ensino Médio.

Além disso, a mudança do Ensino Médio, feita através de uma MP e que não foi informada ao povo brasileiro, foi motivo de manifestações e protestos por diversas unidades de escolas públicas por todo o País, em 2016. Entre as modificações estão à eliminação da obrigatoriedade de disciplinas, como sociologia e filosofia e a abertura para professores não licenciados para dar aulas.

Veja, abaixo, as demais mudanças do Novo Ensino Médio.

O que muda com a reforma do Ensino Médio?

novo ensino medio

Com a chegada do Novo Ensino Médio, obviamente, existe uma série de alterações na maneira de ensino tradicional. Acompanhe a lista completa com as principais mudanças:

Disciplinas e formatações

A divisão entre as disciplinas será diferente. A Base Nacional Comum curricular fará parte de pouco mais que a metade das matérias estudadas, algo em torno de 60% das disciplinas, o restante ficará a critério do estudante. Além do mais, no início do Ensino Médio os alunos já escolhem em qual área desejam se aprofundar. As opções são:

  • Linguagens;
  • Ciências da Natureza;
  • Matemática;
  • Ciências Sociais;
  • Formação Profissional.

Entretanto, algumas matérias serão obrigatórias em todo o Ensino Médio, tais como Português, Inglês e, se for o caso, Língua Indígena.

Mesmo com a exclusão de matérias, como Sociologia, Artes, Educação Física e Filosofia, na Base Nacional Comum Curricular (60%) a presença delas é obrigatória.

O que é Base Nacional Comum Curricular?

A BNCC garante a obrigatoriedade da presença de conteúdo das disciplinas obrigatórias e das matérias tradicionais, como Geografia, História, Biologia, Física, Literatura e Química. O conteúdo foi definido pelo Conselho Nacional de Educação depois de consultar o Conselho Nacional de Secretários da Educação (Consed) e a União Nacional de Dirigentes da Educação.

Aumento da carga horária

Outra mudança presente na Medida Provisória é a de carga horária anual, que era de 800 horas. Agora, essa carga deverá ser de mil horas por ano, divididas em 200 dias letivos, o que equivale a 5 horas de estudos diários, uma hora a mais que o tradicional.

Com passar do tempo, todas as escolas passarão a oferecer ensino integral, tendo seus horários ampliados para 1.400 horas anuais, chegando a 7 horas de ensino diário.  

A carga horária contida na Base Nacional Comum Curricular pode chegar até as 1.800 por ano.

Professores não licenciados

Os profissionais podem dar aula sem diploma de licenciatura, uma vez que apresentem conhecimento sólido sobre a respectiva disciplina. No entanto, essa decisão vale apenas para as aulas escolhidas pelos alunos, como Formação Profissional, por exemplo.

O Novo Ensino Médio já está valendo?

Em tese, as alterações propostas pelo Novo Ensino Médio já está valendo em todo País. Porém as escolas precisam aguardar pela aprovação da BNCC para que as alterações passem a valer de fato.

E aí, o que achou das mudanças do Novo Ensino Médio? Comente com a gente!

Recomendados para você: