GMAT: entenda melhor sobre este tipo de prova para processos seletivos


Todo profissional está sempre buscando novos conhecimentos para crescer na carreira e fazer o GMAT é uma das formas de se aperfeiçoar em sua profissão. As empresas podem ajudar a bancar essa prova como uma forma de diminuir o turnover e contar com profissionais cada vez mais capacitados.

Aqui, vamos entender o que é o GMAT, quais são seus principais benefícios e como o teste funciona.

O que é GMAT?

O GMAT é o Graduate Management Admission Test, que em português significa, Teste de Admissão de Gestão de Pós-Graduação. Esse teste é exigido para admissão na maior parte das escolas de negócios nos Estados Unidos e na Europa.

prova emprego

Aproximadamente ,1.500 cursos de MBA em mais de 80 países usam as notas do GMAT como uma das etapas do processo seletivo para admissão no curso. Fora estes cursos, o GMAT também é aceito em alguns cursos de mestrado em Finanças, Políticas Públicas e Relações Internacionais.

O exame é administrado pelo Graduate Management Admission Council (GMAC) e é realizado em cerca de 110 países. O teste é considerado bastante difícil, tanto que as pessoas estudam pelo menos 4 ou 5 meses para conseguir uma boa nota para a prova. Muitas escolas de preparação fazem diversos simulados para testar a capacidade dos alunos que estão estudando para a prova.

Como funciona o teste GMAT?

Mesmo que seja focada na admissão em escola de negócios, o GMAT não testa nenhum conhecimento específico na área. A ideia do teste é instigar a inteligência mental e a habilidade do candidato em tomar decisões em pouco tempo. A intenção é testar os conhecimentos num período curto, agindo sob pressão.

O GMAT é dividido em quatro seções:

  • Avaliação de escrita analítica: Essa seção busca testar a capacidade de pensamento crítico e de comunicação de ideias.

  • Raciocínio integrado: A seção de raciocínio integrado testa a capacidade de análise de dados e de informações em diferentes formatos.

  • Raciocínio quantitativo: Esta seção mede a habilidade de avaliação de dados e as conclusões num curto período usando métodos matemáticos.


  • Raciocínio verbal: A seção de raciocínio verbal avalia a competência de leitura e interpretação de textos diversos, avaliação de materiais escritos, produção e edição de textos no padrão gramatical inglês.

No teste, as quatro seções têm como o objetivo medir as habilidades em matemática, análise de dados, interpretação e edição de texto, leitura e escrita analítica dos candidatos. O teste é interativo, adaptando questões de acordo com o nível de desempenho de cada candidato, realizado no formato de CAT (Computer Adaptive Test).

Para realizar o teste, os candidatos passam por entrevista em inglês, ao vivo e que pode ser feita em qualquer época do ano. O candidato ainda tem até cinco tentativas anuais de realização da entrevista. O teste é aplicado em centros habilitados, custa 250 dólares e tem duração de 3 horas e 30 minutos.

Como é a pontuação do GMAT?

Depois da realização do exame, os candidatos recebem os resultados do teste em casa em até 20 dias e também é enviado para até cinco instituições de ensino selecionadas pela pessoa. Para o envio do resultado para mais instituições será cobrada uma taxa adicional.

As notas do GMAT variam entre 200 e 800 pontos. De acordo com a administradora do exame, cerca de dois terços dos candidatos tiram entre 400 e 600 pontos. Esse resultado abrange apenas as seções de análise verbal e de dados. Os pontos de redação e raciocínio integrado são medidos separadamente.

A nota em si, não significa um termômetro para admissão ou reprovação do candidato. Para verificar se a sua nota é realmente competitiva, você precisa levar em consideração a média e o range (alcance) geral dos candidatos às universidades em que pretendem ingressar.

A média é a soma das notas de todos os candidatos, dividido pelo número total de candidatos. Já o range é calculado pela exclusão das dez melhores e piores notas, sendo feito o cálculo da média dos candidatos restantes.

É bastante comum que os estudantes façam o GMAT mais de uma vez. Desde 1998, as escolas internacionais não fazem mais as médias das provas, levando em conta apenas a maior nota no processo de seleção das escolas de negócios. Com isso, é possível e até recomendável fazer o exame mais de uma vez para melhorar a nota.

Como se preparar para a prova?

O primeiro passo é definir quais são as instituições que mais lhe chamam atenção e verificar a pontuação necessária para ser admitido na universidade do seu interesse. Depois, faça um plano de estudos para conseguir se preparar plenamente para o teste. A partir disso você pode seguir um planejamento detalhado de tudo o que você precisa aprender para fazer a prova.

Outra dica é aproveitar os materiais de apoio como os simulados gratuitos do GMAC e se for possível investir em alguns livros preparatórios para o Exame. Estes são os principais detalhes para conseguir aprovação em universidades estrangeiras através do GMAT.