Enem: saiba como usar a nota para estudar em universidades estrangeiras


Portugal, Reino Unido, Irlanda, França, Canadá, Estados Unidos – estes são alguns destinos que recebem estudantes que buscam uma vaga em universidades fora do Brasil. A nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) pode ser usada para facilitar o ingresso em diversas universidades estrangeiras.

Cada instituição tem métodos específicos para selecionar candidatos aos seus cursos considerando o exame Enem, embora todas exijam um visto de estudante, que será valido pelo período do curso desejado.

Então, se você optou pela vida universitária no exterior, entenda como pode estudar fora com a nota do Enem optando por países que oferecem mais chances de aceitar o exame.

Portugal


viveenbuenosaires_imagem15_agosto 2021
As instituições de ensino superior de Portugal são as que mais validam as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) como forma de seleção de alunos brasileiros em seus programas de graduação.

Em Portugal, são cerca de 50 universidades (públicas e privadas), com cursos em diversas áreas. Além da nota mínima de 500 pontos, geralmente elas exigem o ensino médico completo e documentação. Ressalta-se que para cursos da área da saúde – como medicina – é exigido um exame específico em relação à aplicação.

São muitas as vantagens de estudar em Portugal. Além da possibilidade de viver em um país europeu, o idioma facilita a compreensão das aulas e retira a necessidade de comprovar a proficiência em outras línguas. No caso de países de língua espanhola, por exemplo, é preciso um diploma com níveis mais avançados do idioma para a compreensão do conteúdo.

A Universidade de Coimbra, uma das mais importantes do país, foi a primeira a considerar a pontuação do exame, em maio de 2014. Neste ano a UC passou a considerar a nota do Enem dos últimos cinco anos para o ingresso – antes aceitava até os últimos três anos.

A partir de 2014, muitas instituições de ensino superior portuguesas adotaram essa estratégia para atrair estudantes universitários brasileiros, entre as quais estão a Universidade de Lisboa, Universidade do Algarve, Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) e o Instituto Politécnico de Leiria.

Estas casas de estudo firmaram acordos de cooperação com o INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), órgão ligado ao MEC (Ministério da Educação) e que, inclusive, é responsável pela aplicação do exame Enem no país.

As instituições de ensino portuguesas, ou algumas fundações e patrocinadores brasileiros, oferecem bolsas de estudo integrais ou parciais e apoio financeiro para estudos internacionais, mas é preciso consultar essa possibilidade em cada instituição.

França

Embora algumas instituições de ensino superior na França considerem as notas do Enem – cerca de cinco delas – o país tem maiores exigências para o ingresso de alunos brasileiros. A proficiência no idioma é um dos primeiros requisitos, mas, é necessário também a aprovação em um curso similar no Brasil, em uma instituição reconhecida pelo MEC. No caso de universidades que não aceitam o Enem para o ingresso, como a Universidade de São Paulo, por exemplo, é necessária uma declaração de admissão oficial da instituição.

Instituto Nacional de Ciências Aplicadas de Lyon (Insa Lyon), Escola Normal Superior de Paris e Universidade Pierre et Marie Curie estão entre as instituições francesas que aceitam o Enem. Um currículo bem estruturado, histórico escolar do ensino médico com altas notas e documentação completa também são importantes requisitos para os candidatos à graduação na França.

Vale ressaltar que nas instituições francesas, o Enem deve ser datado dos últimos dois anos, no máximo. Além disso, algumas áreas de estudo podem ter processos de candidatura específicos, então, para ter acesso às informações atualizadas é indicado pesquisar diretamente nos sites das universidades ou enviar um e-mail para a coordenação da instituição. 

Reino Unido

No Reino Unido, universidades conceituadas como Oxford, Kingston e Bristol aceitam o Enem, somado a outros tópicos, inclusive a realização de um exame aplicado pela própria instituição. Fluência em inglês, histórico escolar do ensino médio com médias excelentes e atividades extracurriculares são fundamentais para ingressar nas universidades britânicas.

Estados Unidos

Três instituições norte-americanas consideram o exame Enem na candidatura de estudantes brasileiros. A mais recente delas a substituir as provas padronizadas tradicionais SAT ou ACT para todos os cursos de graduação é a New York University.

Nos Estados Unidos, o aluno pode usar a nota do Enem para se candidatar na Northeastern University e na Temple University. No Canadá, o exame é aceito na British Columbia University e na Universidade de Toronto.

Documentação traduzida, teste de proficiência em inglês e passaporte são outros requisitos para os estudantes internacionais nestes países. Ficar atento sobre regras de cada instituição estrangeira em aceitar o Enem, além de prazos de inscrição e documentação, é ideal para quem deseja estudar no exterior.